Empreendedor individual: Quanto custa?

QUANTO CUSTA
Para se inscrever como Empreendedor Individual, o trabalhador deve exercer atividades em uma das categorias a seguir:

O processo de formalização não custa nada. Para a formalização e para a primeira declaração anual existe uma rede de empresas de contabilidade que são optantes do SIMPLES NACIONAL que irão realizar essas tarefas sem cobrar nada no primeiro ano.

Você pagará imposto “zero” para o Governo Federal. E apenas valores simbólicos para o Município (R$ 5,00 de ISS) e para o Estado (R$ 1,00 de ICMS). Já o INSS será reduzido a 11% do salário mínimo (R$ 51,15). Com isso, o Empreendedor Individual terá direito a todos os benefícios previdenciários.

E a contabilidade?
A contabilidade formal está dispensada. Contudo, você deve zelar pela sua atividade e manter o controle em relação ao que compra, ao que vende e quanto está ganhando. Essa organização mínima permite gerenciar melhor o negócio e a própria vida, além de ser importante para crescer e se desenvolver.

Você deverá registrar, mensalmente, em formulário simplificado, o total das suas receitas. Deverá manter em seu poder, da mesma forma, as notas fiscais de compras de produtos e de serviços.

O Empreendedor Individual tem assessoria contábil gratuita para o registro da empresa e a primeira declaração anual simplificada.
Fonte : SEBRAE


4 Comments on “Empreendedor individual: Quanto custa?”

  1. Olá, e como faço se não tenho nota fiscal dos produtos que vendo levando em consideração que trabalho com mercadoria consignada? Neste caso eu posso ser uma empreendedora individual?

  2. Bem que poderia ser assim mesmo, mas na realidade a inscrição realmente é simples porém no que depende da prefeitura, pelo menos em Salvador-BA, existe uma burocracia, é claro proposital, para se obter lucro com isso. E exigido um pagamento de uma taxa de verificação/emissão de documento para certificar que a atividade pode ser exercida naquele local, atualmente essa taxa é algo em torno de R$ 500,00, em Salvador. Certamente tem E.I. que não toma esse cuidado de procurar saber na prefeitura antes da inscrição como MEI, porém corre risco de prejuízo, pois a qualquer momento pode chegar uns “fiscais” , que já gostam dessa situação para se darem bem! E ai meu caro ou invés de benefícios com a legalização é só dor de cabeça e dor no bolso.
    A prefeitura deveria, se é que quer ajudar, disponibilizar informações em seu sites a respeito das exigências básicas do município, para funcionamento da atividade, bem como orientar via net, já que a proposta é simplificar a vida do MEI, se para aquele número de IPTU é possível exercer a atividade desejada. Muito simples isso, basta ter um banco de dados com essas informações, indexadas pelo número de IPTU. O problema é a falta intre$$e para resolver essa situação, já $$$abe porquê né!!

  3. olá, eu trabalho com doce salgados, e quero fornecer quentinhas para uma firma, que fica próximo da minha casa, e a firma precisa de nota, como faço para mim tornar empreendedor individual?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *