20 dicas para montar um negócio de sucesso – Parte 2

Esta série de artigos mostra como Montar um negócio de sucesso , se você não leu a parte 1 com as dicas de 1 a 5  da série clique aqui

6. Busque negócios relacionados às suas competências, desejos e motivações

Depois de anos a fio atuando em um determinado segmento, muitos empreendedores resolvem partir para a jornada do negócio próprio. Por que não utilizar essa bagagem adquirida ao longo do tempo para montar um negócio? De acordo com Marcos Aidar, da FGV-SP, as oportunidades vão surgir na medida em que o empreendedor tiver afinidade com o tema. “Se eu sou da área de software, é mais provável que eu encontre oportunidades para empreender nesse segmento”.
“Ao atuar em uma determinada área por um longo tempo, quando empregado, o empreendedor tem a chance de estudar com afinco o mercado, de estabelecer um laço de afinidades e, com isso, consegue ficar antenado para as oportunidades que possam surgir. Naturalmente, essas oportunidades acabam aparecendo com mais ênfase. Existem levantamentos que mostram que boa parte dos empresários teve empregos cuja área de atuação é similar ao seu negócio próprio”, conclui o professor da FGV. “O importante é não deixar de lado o aspecto da gestão do negócio”, enfatiza Hashimoto.
Rubens Oliveira, proprietário da RR Motos, oficina especializada em motos off-road em Sorocaba (SP), é um exemplo nesse sentido. Apaixonado por mecânica desde criança, trabalhou durante dez anos na parte de manutenção de uma concessionária da montadora Yamaha. Depois partiu para voo solo, aproveitando toda a experiência adquirida ao longo dos anos, e montou seu próprio negócio. “Ter esse conhecimento me ajudou muito a ter coragem para virar empresário”. Hoje a oficina atende todas as cidades que cercam Sorocaba, oferece serviços agregados para os clientes e conquista uma nova fatia do mercado de reparação a cada dia.


7. Avalie se a sua ideia não é uma ilusão

Muitas pessoas têm ideias que na prática são inviáveis, o que leva muitas empresas a baixarem suas portas com pouco tempo de vida. “Por isso é importante estudar o mercado onde vai atuar, ver se a proposta de negócio não é uma ilusão”, avalia Marcelo Cherto. “Devido a isso, muita gente acaba optando pelo modelo de franquia, que já oferece essa resposta”.?Para conseguir um acesso ainda maior às informações, a internet pode ser uma excelente ferramenta. “Muitos empreendedores, quando abrem um negócio, não têm dinheiro para investir na realização de uma pesquisa de mercado. Por isso, sair a campo, pesquisar livros, estudos e publicações, e acessar o banco infinito de dados da internet são meios que podem ajudar o empresário a ter noção sobre como seu negócio pode ou não se encaixar no mercado”, explica Marcelo Aidar. Para o professor da FGV-SP, o empreendedor não deve se deixar levar por suas observações pessoais a respeito do assunto. “Busque informações em fontes confiáveis, como por exemplo, no IBGE”.
Artur Muradian, proprietário da filial Moema do restaurante La Pasta Gialla, sempre teve vontade de comandar sua própria empresa. Preparou-se durante três anos, até encontrar um negócio que fosse adequado às suas expectativas. “Eu queria trabalhar com gastronomia, mas tinha medo, pois abrir um restaurante no Brasil é muito arriscado”. O empresário então optou pelo modelo de franquia e, a partir daí, começou a fazer pesquisas de mercado para avaliar qual seria a oportunidade mais viável.
“Depois de estudar, de listar os prós e os contras, vi que comprar uma franquia do La Pasta Gialla poderia ser vantajoso, pois eu teria o nome de um chef famoso por trás do negócio, todo o amparo da franquia e a possibilidade de escolher um ponto comercial favorável. Perceber que o negócio era possível me fez fechar o negócio”. Hoje, o restaurante já tem quatro anos de vida e cresce 5% em faturamento a cada ano.
8. Busque experiências similares

Depois que a ideia for definida, o próximo passo a ser tomado é buscar experiências similares. Para Marcelo Aidar, da FGV-SP, essa procura é fundamental para ficar por dentro dos problemas enfrentados pelo tipo de negócio e quais soluções estão sendo adotadas. “O empreendedor pode aprender com os erros dos outros aparecendo como cliente, sendo um observador externo”.
Antonio Carlos de Matos, do Sebrae-SP, dá um exemplo de como pode ser feita essa pesquisa. Por exemplo, se você for montar uma pizzaria, saia a campo, fazendo pesquisas com 50 outras pizzarias. Se o negócio for localizado na zona oeste da cidade, vá à zona sul coletar informações, para não parecer que você está checando a concorrência. Permaneça algumas horas na frente do estabelecimento, observe a movimentação dentro do local, o atendimento, as pessoas que ali circulam, converse com os empregados e com os proprietários, peça dicas sobre fornecedores e clientes, entre outros. Isso vai ajudar você a entender as condições que tornam o negócio viável, quais possíveis problemas poderá enfrentar e como solucioná-los e, com isso, você elimina o medo de partir para essa nova trajetória.

9. Identifique pontos de diferenciação de seu negócio

Ao decidir montar um negócio, um ponto importante a ser analisado é: como eu posso me diferenciar dos demais? “Não vale a pena fazer mais um negócio igual ao que já existe. Se ele tiver um diferencial, algum requisito que o evidencie das demais empresas, com certeza conseguirá ser um ponto de destaque e ganhará uma fatia a mais do mercado escolhido”, diz Marcelo Aidar, da FGV-SP.
“Se você está numa multidão, nunca vai conseguir se distinguir, caso não se destaque”, diz Constantino Karacostas, proprietário da agência de turismo Class Tour, que buscou incrementar seus serviços para se evidenciar no mercado de turismo. “Nossa proposta de trabalho é fazer o cliente se tornar fã do nosso negócio”, afirma. Vender uma passagem ou fazer reserva de hotel é o trivial.
A premissa de Karacostas é trabalhar “o detalhe do detalhe”. Para isso, investiu na criação de um completo banco de dados sobre seus clientes. “Quanto mais informações, melhor, pois conseguimos oferecer algumas opções extras a eles. Por exemplo, nosso sistema avisa sobre o vencimento do visto americano ou do passaporte do cliente. Entramos em contato com ele para avisá-lo e disponibilizar algum serviço. Os retornos são sempre positivos. Os clientes ficam felizes com essa pró-atividade”. A Class Tour preocupa-se com a documentação do cliente e oferece alguns serviços diferentes, como ingressos para shows.
Para trabalhar com turismo, esse diferencial se torna quase que uma obrigação, de acordo com Karacostas. “O segmento de turismo é complicado, pois mexe com os sonhos e emoções de uma pessoa”, afirma. Muita gente passa uma vida inteira planejando uma viagem, guardando dinheiro, depositando uma expectativa enorme no dia em que isso irá se realizar. Aí chega na hora e não consta a reserva, quando o cliente chega ao hotel, por exemplo. “As frustrações se tornam grandes decepções e isso pode gerar a perda do cliente”, afirma Karacostas.

10. Busque aconselhamento[bb]

Quando um empreendedor se vê a frente de uma grande ideia, mas tomado pelo medo, um toque importante é: busque aconselhamento. Os grandes empreendedores da história empresarial brasileira tiveram alguém que eles consideraram um verdadeiro “guru”.
Marcos Hashimoto diz que o empreendedor pode escolher alguém que lhe sirva de “exemplo”. “Alguém que seja um modelo de aprendizagem para ele. Alguém com quem o empreendedor possa se aconselhar, que seja uma rica fonte de informações, graças ao seu exemplo em relação às suas posturas e atitudes. Quando você ficar em dúvida, buscar aconselhamento com alguém de peso, de renome, pode ajudar a fazer com que você perca o medo de empreender”.
Existem algumas organizações, como é o caso do Instituto Endeavor, que fazem o trabalho de aconselhamento para futuros empreendedores. “Ouvir relatos de outros empresários é sempre gratificante, pois quando você lê uma reportagem que fala sobre a história de sucesso de uma grande empresa, a impressão que passa é que não houve pedras no caminho. Mas quando você escuta a palavra desses empresários, percebe que as dificuldades existiram e isso faz com que diminua as suas incertezas a respeito de entrar ou não para o mundo dos negócios próprios”, diz Paulo Veras, ex-diretor geral da entidade.
Veras afirma que o mercado vai ganhar novos “conselheiros”. “Está começando a se formar uma nova geração de executivos que estão se aposentando, após 30, 40 anos de carreira e experiência adquirida. Eles trocam ideias com as pessoas e norteiam sobre ir ou não em frente na concretização de um negócio. Nos Estados Unidos, esse tipo de trabalho é bastante valorizado”.

Leia e as dicas de 11 a 16…

20 dicas para montar um negócio de sucesso – parte 3

Fonte PEGN

6 Comments on “20 dicas para montar um negócio de sucesso – Parte 2”

  1. Gostei das dicas de como montar um negocio de sucesso… Gostaria de sugerir uma matéria sobre o capital inicial, como faze-lo girar a favor do pequeno empresario, ainda mais quando este capital é oriundo de emprestimos bancarios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *