Como anda a sua acabativa?

Marcos A. S. Rocha*

A maioria dos empreendedores são usinas de idéias. Elas surgem as vezes diversas vezes por dia. Diante dessa enxurrada de idéias, corremos o risco de querer implantar tudo sem critério.

Segundo o Dicionário Houaiss:

Iniciativa é traço de caráter que leva alguém a empreender alguma coisa ou tomar decisões por conta própria; disposição natural; ânimo pronto e enérgico para conceber e executar antes que outros

Mas de que adianta iniciar algo se você não conclui?

Em artigo Stephen Kanitz criou o neologismo “acabativa”.

Acabativa é a capacidade que algumas pessoas possuem de terminar aquilo que iniciaram ou concluir o que outros começaram. É a capacidade de colocar em prática uma ideia e levá-la até o fim.

Quantos meios projetos você tem em sua gaveta?

  • Mudar a vitrine da loja
  • alterar o fachada do restaurante
  • ampliar suas instalações
  • Implantar um ERP
  • Contratar mais funcionários
  • Tirar férias
  • criar um novo produto

Segundo Stephen Kanitz(1):
Os seres humanos podem ser divididos em três grupos, dependendo do grau de iniciativa e acabativa de cada um: os empreendedores, os iniciativos e os acabativos – sem contar os burocratas.

  • Empreendedores são aqueles que têm iniciativa e acabativa. Um seleto grupo que não se contenta em ficar na ideia e vai a campo implantá-la.
  • Iniciativos são criativos, têm mil ideias, mas abominam a rotina necessária para colocá-las em prática. São filósofos, cientistas, professores, intelectuais e a maioria dos economistas. São famosas as histórias de economistas que nunca assinaram uma promissória. Acabativa é o ponto fraco desse grupo.
  • Acabativos são aqueles que gostam de implantar projetos. Sua atenção vai mais para o detalhe do que para a teoria. Não se preocupam com o imenso tédio da repetição do dia-a-dia e não desanimam com as inúmeras frustrações da implantação. Nesse grupo está a maioria dos executivos, empresários, administradores e engenheiros.

Segundo o autor, Iniciativo almeja ser famoso, acabativo quer ser útil.

No casamento, na empresa, na escola precisamos mesclar.

É comum em grupos de estudantes vermos trabalhos acadêmicos que não dão certo, ou são concluidos mediocremente,  pois todos os seus componentes são iniciativos. São ótimos em começar e péssimos em concluir, ou seja, o trabalho nunca sai da papel ou sai na base do empurrão apesar de ter uma excelente revisão de literatura e metodologia .

No casamento se temos um casal com bastante iniciativa, mas que nunca tem acabativa, o casamento fica sempre com projetos pela metade. A compra da casa própria nunca sai, filhos são sempre adiados e assim por diante.

O ideal é ter um pouco de cada perfil. Se você  não tem um deles, se cerque de pessoas que tenha ou procure aperfeicoar o que lhe falta.

Ter excelentes idéias e não implantá-las é como nadar, nadar e  morrer na praia.. É realmente perder tempo e as vezes até mesmo dinheiro.

Referências:

  1. KANITZ S. Iniciativa e acabativa. Disponivel em http://www.kanitz.com.br/veja/acabativa.asp acesso em 25/09/10

Sobre o autor: Marcos Antonio de Souza Rocha é Pós Graduado em Administração de empresas, Consultor  da Focus em Marketing e Estratégia  WEB  e autor  do Blog Marketing em Odontologia e de vários outros artigos  sobre marketing e negócios em revistas e jornais do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *