A ascensão do microempreendedorismo

microempreendedorQuem não conhece histórias de pessoas que começam a desenvolver atividades extras, seja por simples prazer ou com intuito de ganhar um dinheirinho extra no fim do mês. Muitas histórias de microempreendedorismo de sucesso começam com os famosos “bicos”. Agora se o trabalho vai ser reconhecido e vai acabar virando a principal fonte de renda, depende bastante da pessoa que o desenvolve. No fim das contas muitos acabam largando a atividade principal, o famoso emprego formal, para se dedicar integralmente a essa atividade que começou como apenas um extra.

Mas como se vira microempreendedor?

o que move alguém a buscar outros trabalhos e oferecer o seu serviço no mercado, mesmo que esteja vinculado a um emprego formal? Apesar de contar pontos, a motivação financeira não é a única.

Segundo uma pesquisa recente feita pelo site Fiverr, um portal israelense que se descreve como o maior marketplace do mundo de serviços a partir de US$ 5, revela que a independência no mercado de trabalho é um grande motivo para a maioria desses pequenos empreendedores. O site reúne algumas ofertas engraçadas – de um rapaz do Canadá que se oferece para cantar Feliz Aniversário (ou qualquer outra música) usando um chapeu do Pateta por US$ 5 até uma moça, na Argentina, que oferece uma aula de espanhol por Skype pelos mesmos US$ 5.

Na pesquisa, o Fiverr ouviu 1.100 pessoas que oferecem seus serviços no site. Os números  foram publicados pelo site da revista Fast Company. Veja alguns resultados:

  • 86% estão em busca de independência no mercado de trabalho.
  • 80% estão frustradas. Os seis principais motivos: falta de liberdade, não ganhar dinheiro suficiente, trabalhar em horário comercial (pouco flexível), ter que se reportar a um chefe, muitas viagens a trabalho e tédio.
  • 72% dos entrevistados dizem que o principal motivo para procurar o site  Fiverr é o dinheiro.
  • 40% dos usuários dizem que procuram algum tipo de diversão enquanto ganham dinheiro e 32% esperam ganhar mais experiência profissional.
  • Algumas pessoas ainda não deixaram o seu emprego regular – 42% oferecem serviços que normalmente realizam no seu emprego todos os dias. Mas 35% estão tentando ganhar dinheiro com um serviço feito por hobby.
  • Dois terços dos anunciantes do Fiverr enxergam seus serviços como um negócio e 14% conta com esse trabalho como a principal fonte de renda.

Para especialistas, há uma tendência de crescimento do mercado de microempreendedorismo. O cofundador da empresa Vayable Jamie Wong diz que o movimento dos microempreendedores é popular por cinco razões: a flexibilidade, a oportunidade de fazer o que você ama, o dinheiro, a oportunidade de enriquecimento e a chance de exercer a sua criatividade. Ele listou os argumentos em um post no site da Fast Company.

Em um tempo em que as pessoas querem  trabalhar com algo que lhes realize, transformar um talento pessoal em negócio parece uma receita de grande sucesso. Afinal, há cada vez menos espaço para as tarefas repetitivas e enfadonhas em um mundo acelerado pela tecnologia.

Com informações do Boletim Papo de empreendedor



One Comment on “A ascensão do microempreendedorismo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *